quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Meu Homem


Um dia me falaram que eu tinha que te conhecer
Relutei
Talvez prevendo que com você seria pra valer
Em uma terra distante fui me aventurar
Mas quando está escrito
Não se pode evitar
E no nono dia do ano
Nossos caminhos enfim se cruzaram
O que vi em você?
Reitero:
O conjunto da ópera!
Vi um homem
Meu homem
Que luta com garra pelo que acredita
Que é capaz dos mais delicados gestos de carinho
Que tem um dos maiores corações que já vi
Que tem o abraço mais acolhedor que eu podia querer
Que tem seus defeitos, como qualquer um
Que me faz sentir orgulho em ser sua mulher
E me deu o presente mais valioso que existe no mundo
Você mudou o meu mundo
E por tudo isso
Hoje posso dizer sem medo
Eu amo você!

24-03-08
(feito pra algem que jamais existiu. Ilusão, doença, qualquer coisa diferente de AMOR)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Hécate

Não sei até que ponto
Fiz a escolha certa
Nem sei ao certo
Se de fato, fiz alguma escolha
Ou se no fundo
Deixei-me escolher
Talvez eu tenha tomado o caminho mais fácil
O caminho mais palpável
Certa vez alguém me disse
Que meus amores não são seguros
Que não deveria procurar por amores seguros
De fato
Nem procurei
Talvez tenha caído em meu colo
Por tanto tempo esperei algo assim
E agora tenho
Um que me oferece segurança
Outro que me oferece paixão
Um que esta ao meu lado
Outro que esta distante e ainda assim por perto
Hécate esta no meu caminho
Me força a escolher
Eu escolhi ou deixei o caminho me escolher?
25/01/2008

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Fracasso

Um dia sem musica
O sorriso deu lugar as lagrimas que,
Ainda que eu as suprimisse,
Insistiam em rebentar
Explodir
Um abraço pra me acolher
Varios abraços pra me fortalecer
Vontade de desistir
Impotência, desilusão, fracasso
Um elástico que me puxou ao ponto longínquo da partida
Um doce que quase saboriei
Uma Alegria que quase tive
E o "quase" insiste em fazer parte da minha história
Não me lembro de ter me sentido tão impotente
Não me lembro de ter me sentido tão o oposto
do que sei que realmente sou
Nunca desisti de nada
Mas confesso
É o que mais quero agora
Desistir
Não lutar
Não recorrer
Só não o faço em respeito a você
A você que acredita em mim
A você que confia em mim
A todos vocês
Que enchugaram minhas lagrimas
Que adimiraram minha força
Que contemplaram meus esforsços
Que lutaram ao meu lado
Amanha será um outro dia
E como a Fênix
Eu sei
Ressurgirei
Mas por enquanto
Me deixe só
Só com a minha dor
Só com o meu fracasso.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Cibele


Sempre fui apaixonada pela lua
Certa vez descobri outro nome para minha paixão
Numa língua,
Não me lembro qual,
Chamam lua de Cibele
Havia me esquecido de tal fato
Tão pouco me lembrava
Que minha Bela Belinha
É na verdade Cibele
Bela Belinha
Bela como a lua
Certamente faz jus ao nome
Minha bela lua azul
Ilumine a todos com o seu carinho
Brilhe mais que a grande lua cheia
Que invade meu quarto em noites de saudade!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Que Provas

Se feliz sou com seu amor
E com todo o carinho que por mim demonstra
Como me entristece julgar que sozinho estais
Impotente me sinto
Como se não pudesse lhe proporcionar
Nem metade da segurança que me causas
Mãos atadas ante ao seu silêncio
O coração choroso ante sua incompreensão
Meu orgulho se perde
E as lagrimas explodem
Que provas te dou?
Que faço com todo esse amor que não és capaz de sentir?
Lhe estendo as mãos
E elas caem vazias
Sua descrença me entristece
E nem sabes o quanto.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Vem Dançar um Blues Comigo

Blues me lembra
Buteco escuro
Cerveja e cigarro sobre a mesa
Uma banda cantando minhas misérias
Só a noite como companhia
Mas eu te convido
Vem dançar um blues comigo
Vamos mudar a história
Deixa a musica entrar pelo seu ouvido
E tomar conta da sua alma
E enquanto a lua ilumina tudo ao redor
Cola teu corpo no meu
Deixa o ritmo te embalar
Vem dançar comigo
E me amar pela alma
Como amantes
Ou irmãos de alma
Vamos mudar a história
Vem dançar um blues comigo.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Presente de Deus


As vezes a vida nos surpreende
E nos traz um lindo presente
Um momento
Um único momento
Que pode marcar suas lembranças
Em uma noite
Da qual já não esperava nada
Surpreendo-me
Com seus lindos olhos verdes me olhando
Mais que isso
Penetrando meu ser
Deus
O que aconteceu
Como pode me deixar assim
Com tanta vontade de você
Pior
Em tão pouco tempo
Só uma noite
Uma noite apenas
Foi o suficiente
Pra não mais te esquecer
Pena
Estais tão longe
Quem inventou a distancia
Não sabe mesmo o que é saudade.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Beltane



Te senti antes que chegaste
E se fez arder sem me tocar
Deusa me faz
Ao comigo dançar
Em Beltane és meu rei
E sou sua mais bela rainha
Sinto seu fogo arder em mim
E não posso resistir
Mas te sinto tão longe
Embora saiba que estais em mim
Sim, sim
Eu estou apaixonada.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Pantanal ou Terra da Garoa?

Será que um dia sentirei falta desse verde que me rodeia
Quando na selva de pedra eu morar
Quando o Ibirapuera for meu paraíso de fuga
Quando meu coração disparar
Ao cruzar a Ipiranga com a Avenida São João
Quando eu preferir o metro lotado
À duas horas de engarrafamento
Quando eu só ver animais no canal a cabo
Sim, eu sentirei falta dessa terra de ninguém
Talvez ai
E só ai
Eu ame mais esse lindo Pantanal
Do que a terra da garoa

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O Frio

O frio chega de mansinho
Faz minha face corar
Minhas mãos gelarem
E deixa tudo com uma cor diferente
O frio chega de mansinho
Leva meu orgulho
Sei lá pra onde
O frio chega de mansinho
Faz-me pensar o quanto eu não desejo essa solidão
O quanto seu calor me é necessário
E deixa tudo com uma cor diferente
O frio chega de mansinho
E me vejo de novo aqui
Quente, no calor dos seus braços.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Nem Sei

Sinto o vento bater em meu rosto
E trazer seu cheiro com ele
Nem sei se te queria ao meu lado
Nem sei mais o que sinto por ti
Me sinto tão confusa
E aqui
Sentada
Vendo o tempo passar
A espera de alguém
Alguém que sei que não virá
Alguém que me faça esquecer
Esquecer esse amor
Esquecer você
E tudo que vivemos juntos
Por que só consigo me lembrar
Dos melhores momentos
Aqueles
Que fui a mulher mais feliz
Continuo esperando
Sentindo o vento
E com ele seu cheiro.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Não Sei Mais o Que Faço

Não sei mais o que faço

Perdida no espaço
Às vezes tudo parece fora de lugar
E por mais que eu tente
Nada vai se encaixar
Quanto mais me anulo
Mais você exige que eu me anule
Quanto mais faço seus gostos
Mais te deixo descontente
Não sei se tenho mais nervos para suportar
Estou pirando
Estou surtando
E sei que não posso partir
Sequer tenho pra onde ir
Isso esta me matando
Não sei mais o que faço
Perdida no espaço
Quero gritar
Quero chorar
Quero sumir
Mas de nada adiantaria
Já esperneei
Já gritei
Já parti
E aqui estou novamente
Parece um círculo vicioso
Mas esta fazendo mal a todos
E eu
Eu não sei mais o que faço
Perdida no espaço.

21/02/2007

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Amor Insano


Insano ...

E quem nesse mundo louco é normal?

Amor....

O que é amor?

Amor Insano ...

Não é amar mais do que amar a si mesmo

É amar verdadeiramente, com a força de 100.000 homens

É esse o amor que sinto por você

Um Amor Insano, que me faz viver, que me faz crescer

Que me faz sentir mulher

Uma mulher amada desejada

Ah... o desejo...

Desejo de me sentir sua, de você ser meu

Amor Insano que me faz sentir centrada, forte ...

Eu mesma...

Que só sou eu por conta desse amor insano que não tem explicação e sim sentimento

Sentimento é pra sentir e não se explicar

Nesse mundo em que todos pensam só em se dar bem a custa de tudo e de todos não existe lugar para o amor

Quem ama é louco

Portanto

Amor Insano ....

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Mais um ano sem você

Te esquecer
Era tudo que eu queria
Não lembrar que você existe
Não sentir seu cheiro em tudo
Não sentir seu calor
Não sentir seu abraço
Ainda, e mesmo, quando não estais
O tempo passa
E eu envelheço
Mas as coisas não mudam
Mais um aniversário se aproxima
Mais um aniversário sem você
Mais um aniversario sem suas surpresas
As coisas mais simples
Vinda de ti
Eram o que me faziam feliz
Uma rosa roubada
Uma estatua de meu rosto
Um mosaico feito a dois
Tudo era tão lindo
Agora nada me completa
Por que nada tem você
Embora estejas dentro de mim
E em tudo ao meu redor
Sinto
Mas olho e não te vejo
            07-08-07

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Lembro

Lembro-me de ti
E de tua afeição
Lembro-me de ti
Com muito carinho
Não sei onde encontra-se nesse momento
Mas lembro-me de ti
Lembro-me do seu sorriso
E de como me fazias rir com facilidade
Lembro-me de como me fazias mulher
Faz tanto tempo
E achei que ele me faria esquecer
Doce ilusão
Tão pequenas coisas lembram-me você
Ainda me preocupo com seu  bem estar
Idiota eu
Tens outra, que de ti cuida
Eu quase me esqueço que existes no meio do turbilhão
Mas o quase é cruel
De alguma forma
Me prendes
E fugir não posso
Penso em ti
Embora saiba
Que deveria te esquecer
Um dia ter-te-ei de volta
Ao menos em meus sonhos
O que me dá essa certeza?
O quanto ando lembrando de ti!
Não sei de ti
Nem quero saber
O que sei é que não condigo te esquecer
Passe o tempo que passar
Amo te

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Jamais

Quando vai passar?
Quando vou conseguir te esquecer?
Quando vou parar de ouvir as mesmas musicas?
Pensei que o tempo te levaria de vez
Pensei que o tempo me faria te esquecer
O mundo deu ao menos 4 voltas em torno do sol
E me sinto no mesmo lugar
Agarro-me as minhas lembranças
E assim vou sobrevivendo
Como se ainda pudesses voltar
Há momentos que te esqueço
E posso de novo sonhar
Mas retorno ao mesmo lugar
Sinto seu cheiro e seu abraço a me envolver
E acordo sozinha no meu quarto escuro
Procuro-te em outros corpos
Sei, tudo em vão
Ninguém pode me fazer o que você me fez
Ninguém tem seu abraço acolhedor
Ninguém tem seu beijo quente
Ninguém pode me entender apenas num olhar
Mas você não esta aqui
E tenho que me acostumar
Por que jamais vai voltar

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Filme


Hoje a tarde eu vi um filme
E fiquei nostálgica
Como se possível fosse
Ficar mais nostálgica do que já sou
Mas o filme contava a minha história
Tal qual ela ocorreu
Como se possível fosse
Alguém que não me conhece
Sobre mim, tão bem escrever
Tal qual em minha história
O fim não foi o esperado
A mocinha ficou sozinha
E o mocinho casou-se com outra!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Do fim, fez-se o começo!


O domingo arrastou-se estranho
Embora o dia fosse de festa
O céu parecia enfurecido
Coração apertado
Fingi celebrar
Mentira
Não se finge celebrar
De fato, bebi, dancei e comemorei
Com toda a entrega
Como tudo o que faço
Sabia, porém, o que a noite reservava
Sabia que ali seria o fim
Mas surpreendi-me
E hoje sei que era só o começo
Não sei como cheguei aquele local
Verdade
Do caminho,
Minha mente entorpecida
Só lembra flashes
Não vi a banda tocar
Não podia me concentrar
Terminei algo que não comecei
E após o fim
Foi em uma rua deserta que te encontrei
Não,não
Foi você quem me encontrou
E nos descobrimos tão iguais
Finalmente meu beijo quente
E do fim fez-se começo
Como outro dia o tarô me contou!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Fiquei lá



(e lá ainda estou)

Um pedacinho de mim
Deixei a exatos 1109 km
Ficou lá
Nas risadas fáceis
Nos carinhos amigos
Ficou lá
Junto com a chuva que molhou meu corpo
Em cada metrô, trem ou ônibus que peguei
Ficou lá
Em cada lugar que visitei
Em cada pessoa que abracei
Ficou lá
Na lan house no Jd. Clímax
Em Santo André
Ficou lá
No Oliveira e no Extra
E até em São Caetano
Com as risadas perdidas como eu e o Neto
Ficou lá
No parque Ibirapuera
Com cada Nacional ou Internacional que conheci
Ficou lá
Na rodoviária Tiete
Junto com os últimos abraços chorosos
Nos olhos da Patroa
Nos olhos de cada um
No abraço sem querer soltar-se do Thi,
Nego dono do sorriso mais lindo de Olinda,
Ficou no carinho do Estranho
Que de puto, nos últimos minutos, se fez emo
Eu vim
Mas deixei uma boa parte de mim
Numa cidade chamada São Paulo.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Alguns sonhos têm que morrer para que a realidade possa nascer


É verdade sim, “Alguns sonhos têm que morrer para que a realidade possa nascer.”

O príncipe vira plebeu, o encantado vira rotina

Adianta sonhar?

Adianta!

Dentro do plebeu existe um pouco do príncipe sonhado.

A casa tem a felicidade desejada no palácio encantado

A verdade é

Alguns sonhos têm que morrer para que a realidade possa nascer transformando nossos sonhos em como eles devem ser.

Temos que sonhar

Buscar na realidade em que vivemos

O sonho que desejamos

Para que sejamos felizes

Se não só terá lugar para a frustração

Então sonhe...

Sonhe e sonhe...

Mas viva,

Viva, cada momento do seu sonho na realidade em que você se encontra.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Meu Insano Amor



Sinto a musica entrar pelos meus poros
Consumir meu sangue
Pulsar nas minhas veias
E te tenho mais perto de mim
Sinto seu toque, seu cheiro e seu gosto
E posso até te ouvir sussurrar em meu ouvido
Palavras doces, obscenas
Deliro, fantasio
E tenho uma vez mais em meu corpo
Tão real
Não, não vou te esquecer
Não posso esquecer quem consome meus sonhos
Entra em minhas veias
E pulsa no bater do meu louco coração
Tão insano e tão real
Te amei desde o primeiro olhar
Não,
Te amei antes
Bem antes
E jamais pude te esquecer.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Como Você Consegue?


Como você pode ser tão lindo
Como você consegue me dominar
Só com esse olhar
Como você pode fazer tanto sentido
Mesmo estando tão longe
Como você conseguiu
O que há tempos
Muitos tentam
Como você pode ser tão lindo
Como você consegue me fazer tremer
Como você consegue me fazer corar
Como você consegue fazer meu coração acelerar
Mesmo estando tão longe
Conta pra mim
E só pra mim
Qual é o seu segredo
Como consegue me deixar assim
Pernas bambas
Corpo quente
Olhos vidrados
Coração acelerado
Ah
Coisa mais linda
Minha boca se enche de água
E chego a sentir o seu gosto
Como você consegue
Não faz assim
Não posso estar tão longe
Se meu pensamento não sai do seu mundo. 

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Vou Fazer uma Poesia



Vou fazer uma poesia
Como quem faz um feitiço
Com toda a entrega
Vou fazer uma poesia
Como quem ri de si mesmo
Sem se preocupar com formalidades
Vou fazer uma poesia
Como quem persegue uma meta
Com bastante afinco
Mas fazer poesia já é feitiço
Já é uma forma de rir de si mesmo
E de suas feridas abertas
Já é, com certeza, perseguir uma meta
Ainda que abstratamente
Fazer poesia é gritar silenciosamente
Ninguém precisa entender
Sequer o poeta
E por isso é o mais fantástico
É o momento de real liberdade
Então agora sou livre
E ponto.