quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Lembro

Lembro-me de ti
E de tua afeição
Lembro-me de ti
Com muito carinho
Não sei onde encontra-se nesse momento
Mas lembro-me de ti
Lembro-me do seu sorriso
E de como me fazias rir com facilidade
Lembro-me de como me fazias mulher
Faz tanto tempo
E achei que ele me faria esquecer
Doce ilusão
Tão pequenas coisas lembram-me você
Ainda me preocupo com seu  bem estar
Idiota eu
Tens outra, que de ti cuida
Eu quase me esqueço que existes no meio do turbilhão
Mas o quase é cruel
De alguma forma
Me prendes
E fugir não posso
Penso em ti
Embora saiba
Que deveria te esquecer
Um dia ter-te-ei de volta
Ao menos em meus sonhos
O que me dá essa certeza?
O quanto ando lembrando de ti!
Não sei de ti
Nem quero saber
O que sei é que não condigo te esquecer
Passe o tempo que passar
Amo te

Nenhum comentário:

Postar um comentário