segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

O Exame de Ordem é a defesa do cidadão!

Está era a nobre fase escrita no topo da minha prova do ultimo dia 13.
Linda, não?! Pena que a própria OAB e a sua egrégia banca FGV não tem seguido muito a risca tal axioma.
Incialmente cumpre dizer que isso é uma pausa na poesia cotidiana, que tem sido o norteador desse blog, para expressar, minimamente, minha indignação. Por que, diferente do ultimo exame, que eu fiz uma poesia, este pleito não merece sequer meu lamento poético.
Aos que achavam que a mudança de banca da Cespe para FGV resolveria os problemas cotidianos do exame de ordem, agora lamentam visivelmente, sentindo-se mesmo saudosistas.
A FGV não respeita o provimento 136, e isso não é nenhuma novidade. Lamentavel, porém, é que a nossa OAB defende seus erros com unhas e dentes. Não admitiu seus erros na 2º fase do exame 2010/2, não admitiu seus erros no pleito 2010.3 e jamais admitirá em qualquer pleito que seja.
Morrem agarrados ao desejo de perfeição, entitulando-se guardiões em defesa do cidadão.
Agora eu vos pergunto: Que cidadãos?
Os que gastam absurdos com cursinhos e taxas mirabolantes de inscrição, para ao final concluirem que não trata-se de um exame de saber, mas sim de uma grande (e cara) loteria?
Os que estudam a vida inteira, sabem de sua capacidade e sentem-se grandes IGNORANTES ante uma prova que em nada avalia?
Sem falar nos colegas que perderam os seus empregos por não terem passado no exame de ordem, ainda que tenham respondido corretamente!
A OAB e a FGV esquecem-se que estão lidando com vidas, com sonhos, com expectativas e sobretudo com estudiosos e seres humanos.
Desafio os nossos nobre e doutos Presidentes de cada seccional a prestarem o próximo pleito, e colocarem sua carteira e seu cargo a disposição caso não passem. Adoraria saber a conta deste desafio.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Tuas Escolhas

Que você faça escolha
Contudo, arque com as consequências
Não atribua seu cargo a quem não o escolheu
Nem por um minuto
Nem por um segundo
Não imponha a quem te ama tal fardo
A escolha é sua
E só sua
Entenda
Não te amo menos por isso
Cada um tem a cruz que pode carregar
Na verdade
Cada um carrega a cruz que quer
Tudo não passa de escolha
Simples assim
Viver é simples
Amar é simples
Aceitar é que é complicado
Complica aceitar algo que não escolhi
Complica ouvir inverdades
E fingir que tudo corre bem
Por você
e só por você
Pra no final você dizer que não te amo
Pra no final você não reconhecer nada
Não escolha por mim
Não dou-te o direito
Ainda que a ame acima de tudo
Alem de mim
Que sem ti
Jamais existiria!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Quero



Quero o sol, o céu, o mar
Quero o mundo
Saborear docemente a vida
Quero eu mesma colorir
Meu mundo monocromo
Quero autosuficiência
Uma vez que relacionamentos
Comprovadamente
São verdadeiros fiascos
Ao menos pra mim
Quero minha inocência
Acho feio desconfiar das pessoas
De essência são bons os seres humanos
Não são?!?!
Quero a beleza do confiar
Quero a decência do se dar
Quero a sinceridade no falar
Quero a doçura de um olhar

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Nascer de Novo

Por muito tempo eu quis o mundo
O mundo ao seu lado
Abri meu coração
E me entreguei de corpo e alma
Tentei compreender seus medos
E respeitar seus limites
Mas você trancou seus sentimentos
Num mundo só seu
Gritei
Gritei ao vento o que queria
Só você não ouviu
Agora você me oferece o mundo
E muito, muito mais
Agora
Agora que desisti de nós
Agora que minhas forças acabaram
Sinto falta do seu beijo
Sinto falta do seu abraço
Mas não posso mais estar ao seu lado
Queria que tivesse sido diferente
E você tivesse enxergado
Tudo isso antes
Lutei por isso
Só você não viu
Agora estou me reencontrando
E agora sou eu me fechando
Me fechando pro mundo
O mundo que eu quis
O mundo que eu te dei
E não é simples assim
Nascer de novo

17-05-09