quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Meu Homem


Um dia me falaram que eu tinha que te conhecer
Relutei
Talvez prevendo que com você seria pra valer
Em uma terra distante fui me aventurar
Mas quando está escrito
Não se pode evitar
E no nono dia do ano
Nossos caminhos enfim se cruzaram
O que vi em você?
Reitero:
O conjunto da ópera!
Vi um homem
Meu homem
Que luta com garra pelo que acredita
Que é capaz dos mais delicados gestos de carinho
Que tem um dos maiores corações que já vi
Que tem o abraço mais acolhedor que eu podia querer
Que tem seus defeitos, como qualquer um
Que me faz sentir orgulho em ser sua mulher
E me deu o presente mais valioso que existe no mundo
Você mudou o meu mundo
E por tudo isso
Hoje posso dizer sem medo
Eu amo você!

24-03-08
(feito pra algem que jamais existiu. Ilusão, doença, qualquer coisa diferente de AMOR)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Hécate

Não sei até que ponto
Fiz a escolha certa
Nem sei ao certo
Se de fato, fiz alguma escolha
Ou se no fundo
Deixei-me escolher
Talvez eu tenha tomado o caminho mais fácil
O caminho mais palpável
Certa vez alguém me disse
Que meus amores não são seguros
Que não deveria procurar por amores seguros
De fato
Nem procurei
Talvez tenha caído em meu colo
Por tanto tempo esperei algo assim
E agora tenho
Um que me oferece segurança
Outro que me oferece paixão
Um que esta ao meu lado
Outro que esta distante e ainda assim por perto
Hécate esta no meu caminho
Me força a escolher
Eu escolhi ou deixei o caminho me escolher?
25/01/2008

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Fracasso

Um dia sem musica
O sorriso deu lugar as lagrimas que,
Ainda que eu as suprimisse,
Insistiam em rebentar
Explodir
Um abraço pra me acolher
Varios abraços pra me fortalecer
Vontade de desistir
Impotência, desilusão, fracasso
Um elástico que me puxou ao ponto longínquo da partida
Um doce que quase saboriei
Uma Alegria que quase tive
E o "quase" insiste em fazer parte da minha história
Não me lembro de ter me sentido tão impotente
Não me lembro de ter me sentido tão o oposto
do que sei que realmente sou
Nunca desisti de nada
Mas confesso
É o que mais quero agora
Desistir
Não lutar
Não recorrer
Só não o faço em respeito a você
A você que acredita em mim
A você que confia em mim
A todos vocês
Que enchugaram minhas lagrimas
Que adimiraram minha força
Que contemplaram meus esforsços
Que lutaram ao meu lado
Amanha será um outro dia
E como a Fênix
Eu sei
Ressurgirei
Mas por enquanto
Me deixe só
Só com a minha dor
Só com o meu fracasso.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Cibele


Sempre fui apaixonada pela lua
Certa vez descobri outro nome para minha paixão
Numa língua,
Não me lembro qual,
Chamam lua de Cibele
Havia me esquecido de tal fato
Tão pouco me lembrava
Que minha Bela Belinha
É na verdade Cibele
Bela Belinha
Bela como a lua
Certamente faz jus ao nome
Minha bela lua azul
Ilumine a todos com o seu carinho
Brilhe mais que a grande lua cheia
Que invade meu quarto em noites de saudade!