terça-feira, 30 de novembro de 2010

Que Provas

Se feliz sou com seu amor
E com todo o carinho que por mim demonstra
Como me entristece julgar que sozinho estais
Impotente me sinto
Como se não pudesse lhe proporcionar
Nem metade da segurança que me causas
Mãos atadas ante ao seu silêncio
O coração choroso ante sua incompreensão
Meu orgulho se perde
E as lagrimas explodem
Que provas te dou?
Que faço com todo esse amor que não és capaz de sentir?
Lhe estendo as mãos
E elas caem vazias
Sua descrença me entristece
E nem sabes o quanto.

Um comentário: